contato@centralloc.com.br +55 (31) 3351-7604 +55 (31) 3351-7604

Construção civil gerou mais de 30 mil empregos no ano da pandemia em SP, diz Caged

18.02.2021 | Categoria: Mercado

Mesmo em ano de pandemia, no qual vários setores sentiram os efeitos da crise provocada pela Covid-19, o setor de construção civil gerou mais de 30 mil contratações em 2020 no estado de São Paulo, de acordo com um levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Só em Bauru (SP), o Caged divulgou que foram criados 919 novos postos de trabalho por empreendimentos imobiliários. Em todo o país, o setor foi responsável por 112.174 novas contratações, 5,18% a mais que em 2019.

Segundo Diogo Zopone, diretor de uma construtora que lançou um empreendimento durante a pandemia em Bauru, a empresa contratou cerca de 1,8 mil funcionários em 2020. Para ele, os incentivos à construção influenciaram o setor positivamente.

“A gente acredita que o setor continue forte. Os juros vão continuar baixos e a gente também espera que agora os preços dos materiais voltem a cair. Nós tivemos um aumento no preço de materiais essenciais como aço, tijolos, realmente pela falta de materiais e aumento de obras”, explica Diogo.

De acordo com o coordenador de vendas de uma outra construtora em Bauru, Carlos Damiati, a alta nos empregos na área da construção civil está diretamente relacionada com a procura por imóveis. Segundo ele, as vendas aumentaram no ano passado e o setor foi beneficiado por conta de juros mais baixos para o financiamento.

“Aquele investidor que estava acomodado com a questão financeira acabou saindo. Ele não quer mais deixar isso aplicado e ele jogou isso no mercado, então tudo isso veio a aquecer e movimentar esse mercado. Isso foi muito bom”, opina Carlos.

O construtor Rubens Ferreira também sentiu esse crescimento. Como profissão, ele compra terrenos, constrói imóveis e depois vende. Em 2020, Rubens entregou um prédio residencial e já trabalha na construção de mais imóveis.

Trabalhar na construção civil em 2020 também foi uma opção para o Diego Zanete, que costumava atuar na área de estética antes da pandemia. Em março do ano passado, ele aproveitou a oportunidade para mudar de setor e gostou do resultado.

“Foi uma mudança drástica, mas uma mudança prazerosa, uma mudança assim nova que expande os horizontes, né? Então foi muito bom”, opina Diego.

Fonte

Veja também

01.03.2021

Pnad Contínua: Construção gerou 296 mil vagas em relação ao último trimestre de 2020

A população ocupada no País (86,2 milhões) subiu 4,5% (mais 3,7 milhões de pessoas) em relação ao último trimestre de 2020. Já a construção civil gerou 296 mil […]

Continue lendo
01.03.2021

Empresários da construção continuam confiantes, apesar do desaquecimento da atividade

Os empresários da indústria da construção continuam confiantes, apesar do desaquecimento de atividades. É o que indica o resultado da Sondagem Indústria da Construção de janeiro de 2021, […]

Continue lendo
10.03.2021

Construção civil debate novos projetos e negócios no mercado imobiliário

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, participa, na quinta-feira (11/03), do Summit Abrainc 2021 – Cenário do Setor Imobiliário para tratar das oportunidades […]

Continue lendo

Como
chegar